Xuño de 2017
 
 

NÚMERO 360 - 05/06/2017

   CUTUDC / Novidades

  REPRESSOM
 

Os Centros Sociais galegos unem-se para se solidarizarem com o CSOA Escárnio e Maldizer e contra a repressom policial

Umha dezena de cidades e vilas estám representadas no comunicado de apoio ao Centro Social compostelano liquidado com violência há uns dias pola polícia espanhola.

 

  • Noticias relacionadas

Reproduzimos a seguir o comunicado emitido conjuntamente por 15 centros sociais galegos em apoio ao CSOA Escárnio e Maldizer, vítima da violência institucional e de umha campanha mediática de desprestígio por parte dos meios burgueses na última semana.
 
Os Centros Sociais galegos em Solidariedade com o CSOA Escárnio e Maldizer e contra a repressom policial
 
Os coletivos abaixo-assinados, integrantes do movimento popular galego e empenhados na construçom de espaços para a cultura contra-hegemónica e ao serviço do povo galego, declaramos:
 
1. A nossa solidariedade incondicional com o CSOA Escárnio e Maldizer, centro social ocupado com o qual trabalhamos em diversas iniciativas conjuntas, mostrando-se sempre como um coletivo comprometido com a construçom de alternativas ao embrutecimento e mercantilizaçom cultural dominantes.
 
2. O nosso apoio a um coletivo que foi vítima das forças repressivas por recuperar um espaço privado abandonado polos proprietários e que foi reconvertido num bem público. A defesa de tam elementar direito custou nom só um despejo violento do edifício, mas também ferimentos a várias pessoas e a detençom e acusaçom arbitrária de um vizinho.
 
3. A nossa condena à política de perseguiçom policial e mediática contra iniciativas nom controladas pola institucionalidade burguesa. A burda criminalizaçom e desprestígio induzidos polos principais meios de comunicaçom privados e mesmo públicos contra o CSOA Escárnio e Maldizer confirmam a necessidade permanente de auto-organizaçom popular em cada ámbito de luita social e de construçom nacional.
 
4. O nosso compromisso no fortalecimento e na criaçom de espaços que permitam avançar na galeguizaçom e desmercantilizaçom da nossa cultura, em coordenaçom permanente com outras entidades comprometidas com idênticos objetivos nos mais diversos ámbitos: laboral, político, feminista, comunicativo, ambiental, etc.
 
5. Apelamos ao movimento popular galego à unidade e à autodefesa, construindo novas ferramentas ao serviço dos interesses do nosso povo, combatendo a manipulaçom informativa e a repressom judicial-policial.
 
Galiza, 1 de junho de 2017
 
Ateneo Libertário A Engranaxe (Lugo)
Centro Social A Comuna (Corunha)
Centro Social A Galleira (Ourense)
Centro Social A Gentalha do Pichel (Compostela)
Centro Social A Revolta (Vigo)
Centro Social Fuscalho (A Guarda)
Centro Social Gomes Gaioso (Corunha)
Centro Social Madia Leva (Lugo)
Centro Social O Fresco (Ponte Areias)
Centro Social Xebra (Burela)
Centro Social Autoxestionado do Sar (Compostela)
Centro Social Ocupado A Insumisa (Corunha)
Coletivo Terra (Pontedeume)
Fundaçom Artábria (Ferrol)
Local Social Faisca (Vigo)
 
Diário Liberdade

 

Cargas policiais na manife contra o desaloxo do CSOA Escárnio e Maldizer



 

 

 

 

 

 

 

 

CUT da UDC . SEMPRE DO LADO DAS TRABALLADORAS E TRABALLADORES

cutudc.com, 2009. Publicado baixo licencia Creative Commons DHTML Menu By Milonic JavaScript